Atual líder do ranking, campeã do CT de 2016, com 18 baterias ganhas esse ano e uma nota média de 14.57 de 20 pontos, Tyler Wright não precisa de muitas apresentações pra quem vive no meio das pranchas e parafinas. Pisciana nascida em 31 de março de 1994 na cidade de Culburra Beach, na região de New South Wales, Austrália, Tyler é a irmã mais nova de um dos mitos do WCT masculino Owen Wright e 3 anos mais velha que Mikey, que está começando a ganhar brilho no WQS masculino.

A australiana levou o título de campeã no ano passado depois de ganhar quatro baterias no circuito profissional: Roxy Pro Gold Coast (a primeira etapa da perna australiana e a que abre o ano), Drug Aware Pro Margaret River (a que encerra o ciclo na Oceania), Oi Rio Pro (realizado na Barra da Tijuca no Rio de Janeiro) e o Swatch Women’s Pro Trestles (nos Estados Unidos), que é a próxima etapa a ser encarada pelas melhores surfistas do mundo.

Tyler defende o título e a liderança no campeonato com apenas 1.500 pontos a frente de Sally Fitzgibbons. Levando em consideração que as duas surfam com o pé direito no apoio, é importante ressaltar que uma das maravilhas de LowerTrestles, onde a competição vai rolar, é que a onda abre para os dois lados, sem favorecer ninguém, além do swell forte.

Prontas pra ver a mulherada quebrar San Clemente? A competição vai rolar entre os dias 6 e 17 de setembro e a lycra amarela pode mudar de mãos. Quem será que vai levar?

Tyler Wright no Swatch Women’s Pro Trestles de 2016