Segunda-feira! Let’s talk about money!, o convite do REBEL em trazer o tema da Gestão Financeira para as mulheres em nossa rede junto com meu cansaço em não ganhar dinheiro me fez ir mais a fundo em mim mesma, em relação a opinião sobre dinheiro e revisão de crenças. Na última matéria falei sobre a opinião que tenho do dinheiro, você parou para refletir na sua?

 

Nessa, fui entender de uma maneira simples, a diferença entre as palavras mais buscadas no Google: Dinheiro, riqueza e prosperidade, que parecem as mesmas coisas, mas têm significados diferentes. Só para lembrar, existem estudiosos sobre esse tema okay? O que não é meu caso ehehehe, a idéia aqui é dividir o que vim lendo e sentindo através de mim mesma.

 

Dinheiro, segundo o dicionário é um meio de pagamento, na forma de moedas ou cédulas, emitido e controlado pelo governo de cada país, um instrumento utilizado na realização de trocas comerciais da sociedade, já Riqueza é característica ou condição do que é rico, riqueza é a grande quantidade de dinheiro, posses, bens materiais, propriedades, já a Prosperidade é o estado ou qualidade do que é próspero, ou seja, bem-sucedido, feliz e afortunado.

 

Na prosperidade as oportunidades, coisas e pessoas chegam! Alguém te chama para um belo jantar apenas por convidar, pessoas te dão coisas, oferecem carona, te convidam para suas casas, sem que você peça. Você vibra prosperidade e o que está a volta responde na mesma frequência.

 

 

Uma pessoa pode ser rica, ter muito dinheiro mas não se sentir feliz, não ser próspera como ela pode não prover de muito dinheiro mas ser próspera e feliz com a quantidade de dinheiro e bens que tem. A prosperidade está associada a um estado de espírito e é aqui que eu me encontro hoje. Me sinto e sou próspera porém não sou rica.

 

Uma sensação que anda dando um nó na cabeça e vou explicar melhor. Lembram quando contei sobre o cansaço de não fazer dinheiro? Pois bem… não sei vocês, mas eu costumava realizar mudanças necessárias e viradas de chave de minha vida apenas quando beirava os limites. Foi necessário chegar ao limite de não ter R$ 15,00 no cartão de débito diante das compras e caixa do supermercado para repensar em minha vida financeira com o cuidado que qualquer àrea da vida merece.

 

O mais “interessante” nisso tudo é que há quatro meses moro em uma casa “dos sonhos” com mais duas amigas, Cris minha sócia e seu filho e Suellen e seus dois meninos,  no Litoral de São Paulo, com um custo de vida que de longe não teria na capital, considerando alimentação, aluguel, despesas da casa e a super anja dona Rô (que nos ajuda semanalmente),  vivendo com cerca de R$1.200,00. Claro que estou falando de uma vida sem cartão de crédito, gastos com saídas noturnas, compra de roupas, carro, programações mirabolantes, mas que acontece ali beirando a praia onde a diversão não tem entrada, o mar e a cachoeira onde chego de bicicleta são grátis e a areia está ali só esperando minha canga para deitar, as vindas à São Paulo acontecem de carona ou ônibus e as estadias são na casa de amigas, dos pais ou do namorado. Romântico isso tudo não? Viveria facilmente em uma cabana pescando peixe, surfando e tomando água de coco falta pouco para viver assim na verdade … mas esse é meu lado pisciano (de ascendente) gritando mais alto, o que pega é que existe uma capricorniana dentro de mim que busca por mais estrutura, realização material, um pé de meia para pensar em ter um (a) filh@, ajudar mais pessoas e uma quantia que permita viajar pra Bali uma vez por ano. Na verdade, uma quantia que me permita ir e vir sem precisar fazer muitas contas!

 

Fui entender que o dinheiro não é ruim, ele é uma energia que pode ser usado como cada uma bem entender, ele não corrompe quem não é corrompível e pode ser uma ferramenta muito positiva, ele é necessário em grande parte das vezes nessa Terra de terráqueos, é uma energia de troca, mas entendi também que a prosperidade é um estado de espírito e pode ser encontrado seja em mansões nos Jardins ou nas casas mais simples na comunidade da Rocinha, nisso ví mesmo que o desafio é viver nesse equilíbrio de se sentir próspera e grata com o que tem nas mãos sem perder de vista a gana por crescer e expandir com consciência.

 

Na verdade dinheiro é uma das moedas que temos por aí, riqueza é o acúmulo dessa moeda, algumas exageram nesse acúmulo outras soltam a mão demais e prosperidade é aquilo que independe de muita ou pouca grana, são coisas diferentes. Prosperidade entendida, agora é entender como monetizar e gerar dinheiro para as para as coisas boas que sonhamos realizar por esse mundão!

 

Próxima semana falamos sobre esse segundo passo aqui!