Não me leve a mal, não tenho nada contra quem prefira ficar na areia, mas essa apenas não sou eu. Eu sou aquela que entra junto, que vai só ou acompanhada, mas vai!.

Aquela que se cansou de esperar por uma dica  de um (a) namorad@ impaciente e amigo (a), e foi encarar as ondas por sí só, entre engolidas de água salgada e dropes, cá estou eu, me virando até que bem, me livrando das raízes que criei na areia.

 Não pense que é orgulho, entenda que diferente de algumas garotas, eu prefiro me virar e isso pode ser ao seu lado e irmos juntos, eu apenas cansei de ficar horas na espera, ou um dia inteiro sem entender bem o porquê de você passar cinco horas na água até eu me levantar da canga e entender isso tudo mais de perto.

 E eu entendi! Ô se entendi, esse negócio vicia. Inclusive peço desculpas pelo tanto que você me ouviu reclamar sobre o tempo que me esqueceu na areia, hoje eu entendo, entendo tanto que te fiz esperar cinco horas enquanto fiquei dentro d”água e saí com vontade de ficar mais. Fiquei tanto na água que quando pisei na areia perdi meu senso de direção no solo, meu corpo ainda pedia  mar.

Happy-hunting

 Não encare que agora só quero surfar com minhas amigas, é que ali fico mais à vontade, é meu momento comigo mesma, mas entenda que cada dia que surfo com ou sem elas, eu evoluo e passo a surfar também com você!

É que sabe o que é? Não serei a sua garota na areia